Relacionamento Abusivo

O Coringa pergunta: “Você morreria por mim?”, ao que a doutora Harleen Quinzel responde que sim. Ele muda de ideia e questiona: “Você viveria por mim?” e mais uma vez, ela concorda. O personagem então a transforma em Arlequina, enquanto uma música romântica começa a tocar. A descrição é de uma cena de Esquadrão Suicida, e de romântica não tem nada.

Relação abusiva é aquela onde predomina o excesso de poder sobre o outro”, explica a psicóloga Raquel Silva Barreto, da Universidade Federal Fluminense (UFF), em entrevista ao Repórter UNESP. “É o ‘desejo’ de controlar o parceiro, de ‘tê-lo para si’. Esse comportamento, geralmente, tem início de modo sutil e aos poucos ultrapassa os limites, causando sofrimento e mal-estar.”

Todo relacionamento no qual um parceiro extremamente ciumento, quer controlar as atitudes e decisões do outro e tenta isolá-lo do restante do mundo, pode ser considerado abusivo. Por vezes, a agressão, além de mental, é física, e é um dos principais motivadores do feminicídio, erroneamente chamado de “crime passional” em diversas ocasiões.

Como algumas características dos relacionamentos abusivos são normalizadas pela nossa cultura, é difícil para as próprias vítimas entenderem o que se passa com elas. Alguns usuários do Twitter abordaram o assunto por meio da hashtag #erelacionamentoabusivoquando, listando algumas situações de alerta de um relacionamento não saudável.

 

E pra finalizar esse post: você sabe quais são os tipos de violência contra a mulher?

Gabriela Santos
wirtten by: Gabriela Santos
Gabbi, 20! Fã do mundo feminino. Estudante de gestão publica e música.
Leave a Comment